06/06/2008

Pastoral de Minas

PASTORAL DE MINAS

(Poemas)


Prêmio de Literatura Cidade de Belo Horizonte
- 1981 -


Epígrafe:

POESIA
uma Tentativa de preservação das raríssimas
áreas verdes da sensibilidade, de preservação
dos derrradeiros rastros do humanismo.

FUNÇÕES
tem funções nitidamente sociais, seja
no sentido de reelaboração do Ser, seja
no sentido de aprimoramento da sensibilidade.
Funciona como poderosa arma de contestação,
além de ser um instrumetno didático, na medida
emque instrui, educa e sensibiliza, naa medida
em que informa, denuncia e faz indagações.


Epígrafe:

"Escrevi esto libro pra proveito
e especial deleitaçom de dodolos simpleses."
ORTO DO ESPOSO (Anônimo)



Dedicatória

Ao meu Pai.

E à minha Mãe, que descobriu com
entusiasmo o Absoluto
na manhã radiosa dos meus primeiros versos.

A Maria Lúcia, ternura inconfundível, mulher inesgotável
que se multiplica por força das Escrituras e da Poesia.

A Chico Motta que ainda vivo viu nascer este livro
e morreu sonhando um dia premiá-lo.

Aos que foram consumidos no anonimato
pelo fogo ardente da Poesia
e morreram na esperança de um só verso publicado.

A Lêdo Ivo.



PREFÁCIO
Pascoal Motta

Pela consciência crítica na elaboração literária, verificada primcipalmente através da motivação eminentemente mineira que impregna suas páginas, pela linguagem declaradamente criativa, multirradiada, transbordante em universalidade, pelas dissonâncias líricas como marca de modernidade, este PASTORAL DE MINAS é um livro que vem contribuir decisivamente para o nosso enriquecimetno cultural e da Literatura Brasileira.

(...)

O surgimento deste livro de canto inusitado, prenhe de surpresas divergentes, mas convergentes, é um alento e uma promessa de melhores dias para a Poesia, num tempo de consumismo diluidor e massacrante.






Editora Comunicação

POESIA BRASILEIRA IMPRESCINDÍVEL

  • A CONTINGÊNCIA DO SER - Célio César Paduani
  • A INSÔNIA DOS GRILOS - Jorge Tufic
  • A ROSA DO POVO - Carlos Drummond de Andrade
  • A SOLEIRA E O SÉCULO - Iacyr Anderson Freitas
  • ARTEFATOS DE AREIA - Francisco Carvalho
  • AS IMPUREZAS DO BRANCO - Carlos Drummond de Andrade
  • BARCA DOS SENTIDOS - Francisco Carvalho
  • BICHO PAPEL - Régis Bonvicino
  • CANTATA - Yeda Prates Bernis
  • CANTIGA DE ADORMECER TAMANDUÁ E ACORDAR UNS HOMENS - Pascoal Motta
  • CENTRAL POÉTICA - Lêdo Ivo
  • CONVERSA CLARA - Domingos Pelegrini Jr.
  • CRIME NA FLORA - Ferreira Gullar
  • DICIONÁRIO MÍNIMO - Fernando Fábio Fiorese Furtado
  • DIÁRIO DO MUDO - Paulinho Assunção
  • DUAS ÁGUAS - João Cabral de Melo Neto
  • FINIS TERRA - Lêdo Ivo
  • GUARDANAPOS PINTADOS COM VINHO - Jorge Tufic
  • INVENÇÃO DE ORFEU - Jorge de Lima
  • LAVRÁRIO - Márcio Almeida
  • NOVOS POEMAS - Jorge de Lima
  • O ESTRANHO CANTO DO PÁSSARO - Célio César Paduani
  • O ROMANCEIRO DA INCONFIDÊNCIA - Cecília Meirelles
  • O SONO PROVISÓRIO - Antônio Barreto
  • OS MELHORES POEMAS DE FERREIRA GULLAR - Ferreira Gullar
  • PASTO DE PEDRA - Bueno de Rivera
  • POEMA SUJO - Ferreira Gullar
  • POEMAS REUNIDOS - João Cabral de Melo Neto
  • POESIA REUNIDA - Jorge Tufic
  • RETRATO DE MÃE - Jorge Tufic
  • VER DE BOI - Pascoal Motta
  • VIANDANTE - Yeda Prates Bernis